quarta-feira, 9 de abril de 2008

Um espumante conquistador.


De regresso à Adega Cooperativa do Cadaval e à gama Confraria, trago agora uma sugestão para um espumante bruto, quanto a mim muito bom e que, apesar de bruto, tem tratado muito bem as minhas papilas.
Como eu não gosto de bebidas doces, confesso que espumantes doces, a meu ver e beber, são como morangos com açúcar. Ou comemos morangos bons e ao natural ou não os comemos de todo.
Este Bruto Reserva, foi produzido a partir da casta Arinto e tem a particularidade de pertencer a uma região DOC que muitos desconhecem. É um vinho DOC Óbidos mas não é preciso nenhuma batalha para se deixar conquistar por este guerreiro.
É um vinho bastante intenso e com um gasoso batalhante, talvez até um pouco demais.
Foi produzido segundo o Método Champenoise ou Tradicional, tal como acontece com o Champagne e que consiste em provocar uma segunda fermentação em garrafa, facto que melhora substancialmente a qualidade dos espumantes.
É um pouco como os Whiskys Puro Malte que, quantas mais vezes são destilados, melhores se revelam. Alguns são destilados 3 ou mesmo 4 vezes, tudo em prol da qualidade, inversamente proporcional à quantidade e ao preço naturalmente.
Não sei o preço deste Confraria porque ainda não paguei nenhuma das garrafas que me ofereceram. Nem me interessa, para já.
Este vinho gosta de leitão assado, peixe grelhado e claro, marisco. E gosta do frio também.
Mas cuidado! Este vinho trepa, não às muralhas do castelo mas ao encéfalo mais próximo.
E para quem tem o rei na barriga, cautela se não quer ver a cabeça na guilhotina.


Bons vinhos!

1 comentário:

Pedro Guerreiro disse...

Já oferecias era uma aqui ao pessoal...
parabéns pelo blog!!!

Related Posts with Thumbnails