sábado, 30 de janeiro de 2010

Canja de galinha


A canja é como a água. É subestimada mas não passamos sem ela. Que o digam as crianças, os velhos/idosos, os doentes/enfermes. Eu, depois de uma grande bebedeira de sábado, fico com os miúdos na canja de domingo ao almoço em casa da minha mãe.
Ora lá vai.
A canja de galinha é apenas uma base, um caldo. Não há creme, não há textura, não há nada de especial. Há sim, uma riqueza de sabores e aromas leves que se complexam em conjunto durante um bom período do tempo. Portanto, quanto mais ingredientes tiver o caldo, melhor será o resultado.
Água, sal, cebola, alho, cenoura, alho francês, um tomate maduro, um chouriço, a galinha com os miúdos e hortelã a meio da cozedura. Após cozer bem o chouriço e a ave, retira, desossa, desfia e volta a juntar. Depois, acrescenta ao caldo, um cubo knorr galinha, massa e deixa ferver até entalar a massa. Retira e serve com hortelã no prato.

4 comentários:

CAM disse...

Em vez de esparguete esprimenta com cotevelinhos?

CAM disse...

digo cotovelinhos

Anónimo disse...

Tem bom aspecto... mas a mãe não lhe arranja galinha caseira? caldo knorr... blérg! é criminoso. :P

O Jamie Oliver não ia gostar! Estou a brincar!!

Sofia Catarino disse...

Adoro canja com cenoura e hortelã... é de babar o queixo!

Related Posts with Thumbnails